terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Leve sonho...

Leve sonho...
Ardes,
Lentamente ao vento...
Olho para ti e nada faço,
Nada posso fazer...
Chama que arde...
Resta cinza,
Cinza de mim...
Do que já fui...
Ardes em mim,
Ardo em ti...
Fecho os olhos,
E aqueço-me nessa chama...
Olho-a,
Adormeço...
Para que jamais se apague...
Chama de sonhos...
Chama dos meus sonhos...


Feliz 2009 a todos

domingo, 21 de dezembro de 2008

Ser...

Sei ser apenas o que não sou...
Talvez seja o que não sei ser...
Sou assim...
O que não sou...
Uma linha de memoria...
Perdida...
Confusa...
Esquecida...
Uma memoria que vai e vem...
Que se usa com o tempo....
Fecham-se os sonhos...
Fecham-se os olhos...
Fecha-se o mundo...
Fecho-me entre quatro paredes...
A espera que a vida me use...
A espera de me esgotar em lágrimas...
A espera que me afogar em pensamentos...
Sou o que nunca fui...
O que não sei ser...
Não sou...
Nunca fui...
Não vou ser...
Não sou...
Sou o que não sou...
Pó...
Cinza de sonhos...
Amargura...
Acidez...
Sou o que sou...
Por não saber ser...

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Fecho os olhos...

Sinto-me assim...
Perdida entre duas linhas,
Dois horizontes distintos...
Fecho os olhos,
Para voltar a sonhar...
Porque foi a sonhar,
Que me perdi...
Talvez seja a forma mais fácil,
De me voltar a encontrar...
Cada dia que passa aprendo,
A não negar o que sou,
A viver do que sinto...
Mas a verdade...
é que vivo numa mentira...
Vivo entre dois mundos,
E nunca vou pertencer a nenhum deles...
Fecho os olhos...
Para construir o meu mundo...
Porque mesmo que seja um mundo de sonhos...
Não o vou dividir com ninguém...
Sinto-me assim...
Um olhar vazio,
Com o coração cheio de amor...
Amor apenas meu...
Amor meu...
Fecho os olhos...
Sonho neste meu mundo...
Que este amor é teu...
E não apenas meu...
Fecho-me neste meu mundo...
Mais fácil de viver...
Fecho os olhos...
Com medo de os voltar a abrir...
Porque não sei viver assim...
Sem amor...
Um amor que não quer ser apenas meu...
Mas que o deixa de ser apenas em sonhos...
Sonhos meus...
Fecho-me em sonhos...
Fecho-me em mim...

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Sou...

Sou um vazio de imagem e cor,
Culpada por apenas tentar viver...
Por ter acreditado num sentimento,
Que crescia dentro de mim...
Numa miragem...
Numa pura ilusão...
Fugia de mim, de um amor...
De um sentimento,
Que erradamente tentei camuflar...
Sou culpada de te iludir...
Sou culpada de ter acreditado,
Que seria capaz de substituir sentimentos...
Sou culpada de acordar,
Com um beijo vazio...
Desprovido do amor,
Que me faria fervilhar...
Sou culpada de viver numa realidade,
Que não corresponde a tua...
Sou culpada de amar,
Mas não te amar a ti...
Não como o esperavas...
Sou culpada de o amar a ele...
Não a ti...
Sou...
O que aprendi a ser...
E vou me afogar assim,
Sem o negar...
Neste meu mundo...
Julgada por todos...
Julgada por mim mesma...
Mas pela primeira vez...
Incapaz de fingir...
De esconder os meus erros...
De mim e desse mundo,
Que me volta as costas...

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Cinzento em tela de cor...

Sou cinzento numa tela de cor...
Cansada de viv
er sonhos impossíveis...
Uma vida resumida a pe
nsamentos de amor,
Perdidos no tempo...

Mas o meu sorriso não se esconde,

Continua a sorrir...
A espera que a vida,

Me transforme em vermelho,
Vermelho em tela de cor,
Perdida num arco íris de sonhos...


domingo, 7 de dezembro de 2008

O espelho

Observo-me num espelho,
Apenas uma imagem disforme surge...
Sinto-me capaz de amar,
Mas um ser amargo e repugnante,
Por não ser capaz de te amar a ti...
Amo...
Mas não a ti...
Amo-me...
Mas não te amo a ti...
Lamento...
Mas a vida fez-me assim...

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Liberdade...

Caminho de olhos fechados,
Sigo as linhas do meu destino...
Sem medo...
Viro mais uma pagina,
No livro dos meus sonhos...
Nunca fui poeta de palavras,
Mas sim de sonhos....
Caminho...
Com mais uma marca em mim...
*Liberdade* és minha...
*liberdade*


segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Descobre...

Descobre...
O que o meu olhar esconde...
O que o meu corpo esconde...
O que o meu mundo esconde...
Descobre-me...

E cobre-me de amor...

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Linhas em mim...

Linhas de sonhos,
Traçadas num corpo...

Linhas de destinos,

Cruzadas no horizonte do amor...

Linhas de cor em mim,

Linhas de amor...
Amor por ti...
Amor por mim...
Amor de mim por ti...

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

O canto...

Cantas que me encantas,
Sem palavras...
Apenas com os sons do teu silêncio....
Encantas-me com o teu canto,
De palavras de amor,
Sopradas ao vento...
Quando cantas encanto-me...
A musica que chega aos meus ouvidos,
é a melodia do teu sorriso e do teu coração...
O meu coração une-se ao teu sorriso...
Sorriso que deixa de ser sonho,
E passo a passo cada vez mais real...


quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Finalmente

Finalmente num mundo de diferenças,
Existe ainda a capacidade de sonhar...
Talvez nesse mundo de sonhos,

Consiga ser feliz...

Finalmente me sinto a caminhar em paz,

A seguir um caminho,
Que fui capaz de escolher...

Finalmente me sinto capaz,

De aprender com os meus erros...

De aprender com os meus sorrisos...

Finalmente...

Simplesmente...

Livre para amar...


segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Mamma mia

A vida não é fácil...cada dia que passa descubro mais isso e é nas lágrimas que solto que vou buscar a minha força para sorrir..ツ ツ


Afinal todas somos verdadeiras dancing Queen's...

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Cada dia que passa...

Cada dia descubro mais um pouco de ti...
Cada dia me encanto mais pelo teu ser...
Cada dia que passa é longo...
Cada dia que passa me leva a acreditar,
Que no amor as "diferenças" se anulam...
Cada dia que passa,
Te vejo mais com os olhos do meu coração...
Cada dia que passa,
é mais um dia em que eu sou capaz de dizer e não esconder,
O quanto o que eu sinto por ti me preenche...
Cada dia que passa aprendo a te amar mais...
Amo-te a cada passo,
E a cada dia que passa...

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Querer estar contigo...

Querer estar contigo...
é sentir-me cada dia,
Mais próxima do teu olhar,
E em cada momento,
Mais presente nos teus sonhos...

Querer estar contigo...
é deixar-me levar pela onda do teu mar...
Onda de sonhos que desloca o meu barco lentamente...
Até ao porto seguro,
Construído pelos nossos sorrisos...

Querer estar contigo...
é simplesmente querer amar-te...

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Esta noite...

Esta noite,
Uma noite não diferente,
Mas igual a tantas outras...
Fechei os meus olhos,
Deixei o meu coração voar até ao teu...
Os nossos olhares unirem-se,
Numa linha de amor inseparável...
Dei-te a mão...
Deixei o vento levar as minhas palavras,
Até aos teus ouvidos...
Disse-te...
Amo-te...

I believe...

The smile on your face lets me know that you need me ,
There's a truth in your eyes saying you'll never leave me,
The touch of your hand says you'll catch me wherever I fall,
You say it best..when you say nothing at all...





When you believe your dreams come true...

I believe in you & me...

terça-feira, 28 de outubro de 2008

domingo, 26 de outubro de 2008

Mar estrelado...

Esta noite fechei os olhos,
Deixei-me levar até ti...
Encontrei-me no teu mar de estrelas,
Fusão magica de ondas e luz...
Fusão do meu amor com o teu...
O brilho do meu olhar perde-se ai...
Entre a luz das estrelas,
E as ondas do teu mar..
Mar de amor...
Amor por ti...
Amor por mim...
Amor de mim por ti...

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Dificil...

Sou sombra que afasta a luz,
Difícil de definir...
Impossível de entender...
Afasto alegrias,
Vivo lado a lado com os medos e as tristezas...
Não pedi para ser assim...
Mas nasci assim...
Resta-me esperar que as magoas me afoguem,
E me levem,
Para onde eu possa deixar de sentir esta dor...
Dor que me sufoca e tortura,
A cada passo, a cada momento...
Resta-me esperar,
E morrer lentamente,
Com o meu próprio veneno...

Dividida...

Dividida entre um passado sombrio que já foi luz,
E um futuro desconhecido que me assusta...
Cada passo que dou,
Que ontem me parecia mais certo,
Hoje já não o é...
Perdi-me nas linhas da vida,
Perdi-me nas linhas das escolhas...
Não sei viver dividida....
Desfocada aos meus olhos,
Desfocada aos olhos do mundo...

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Entre as linhas...

Sinto-me dividida entre duas linhas,
A de um presente certo,
E de um futuro incerto....
Duas linhas paralelas num horizonte,
Que nunca se vão cruzar...
Mas não é por essas linhas que devo seguir destino,
Apenas devo escolher,
Da qual me devo aproximar mais...

E construir a minha...
Sei que essa linha,
Que se desenha pouco a pouco,
Vai se cruzar com outra...
Se elas seguem caminho juntas?
Nao sei...
Apenas me resta seguir caminho,
Até ao meu destino incerto...
Mas que me parece cada vez mais certo...


sábado, 18 de outubro de 2008

Sinto-me assim...

Sinto-me a caminhar lentamente,
Sei que não é um caminho simples...
Por vezes o meu chão torna-se,
Uma onda de mar,
Uma explosão marítima,
Capaz de me deixar a deriva...
Talvez tudo fosse diferente,
Se eu fosse diferente,
Mas iria fingir ser algo que não sou...
Hoje tento me definir,
Sou mistura de vento em cólera,
Numa pequena onda de mar...
Sou Brilho de poeira de estrela,
Que vive uma vida de mudanças...
Essa é a minha forma de caminhar,
Até ao limite do meu imaginário...
A minha forma de viver...
Apenas mostrando o que sou...
Sem medos...

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Porque sim...

Porque hoje quero acreditar no amor...
Deixo-vos ouvir o que me vai na alma...

Fechada numa caixa de sonhos...

Fechei-me numa caixa de sonhos...
Não posso caminhar até ti,
Porque não sou livre como o vento...
Não posso me aconchegar no teu amor,
Porque sem ser em palavras não existo...
Não esperes por mim...
Fechei-me numa caixa de sonhos,
Fechei-me ao mundo...
Fechei-me a ti...


terça-feira, 14 de outubro de 2008

Da-me força...

Vejo-te ao longe,
Lentamente abro os meus braços,

Ao teu abraço...
Aprendo a te sonhar,
Em cada palavra escrita...
Para ti caminho,
Espera por mim...
Da-me força,
Para seguir caminho até ti...
Da-me força,
Para acreditar em ti..
Em nos...


segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Será...

Será que me dói a alma?
Por medo de substituir sentimentos...
Será que me sinto confusa?
Por não saber gerir o que me despertas...
Será que tenho medo?
Porque posso sonhar demais e voltar a cair...
Será que nao acredito em ti?
E ao mesmo tempo,
Das ja sentido a minha existência...
Será que posso me apaixonar por ti?
Será que te posso amar apenas a ti?
Será o que tiver que ser...


Doi-me...

Dói-me o corpo,
Dói-me a alma...
Sufoco entre quatro paredes...
Queria ter força,
Queria ter coragem,
Para acabar com tudo...
Os medos tiram-me o ar,
Agonio com os pulmões vazios...
Grito sem voz,
Porque a voz também a perdi...
Perdi os sonhos...
Perdi-me a mim...
Desejo desaparecer do mundo...
Morrer de sonhos,
Que nunca fui capaz de viver...


Poeira de sonhos...

Sou poeira de sonhos,
Varrida pelo destino...
Nao sei para onde o vento me leva,
Mas sei que o meu fim é no mar...
Quando for capaz,
De dissolver as minhas magoas...
E todas as ilusões,
Que criei neste meu mundo...
Ilusões de pensamentos,
De ideias,
De momentos...
Momentos até hoje que pareciam verdadeiros,
Mas que se revelam falsos a cada instante...
Sinto-me como se adormecesse com o calor do sol,
E acordasse com o frio da neve...
Mas hoje sei o que sou...
Sou poeira de sonhos...

sábado, 11 de outubro de 2008

Linhas do olhar...

Pedi-me nas linhas do horizonte,
De um olhar desconhecido...
Percorro um caminho sem destino,
Sigo pelas ruas da vida insegura...
Sem certeza de para onde vou,
Mas com a certeza de quem eu sou...
Viver de sonhos não faz mudar o mundo,
Mas permite-me vê-lo com outros olhos...
Os olhos da alma e do coração...
Vou sem destino...
Vou até ti...
Sonho perdido...

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Estupida existencia...

Existi para me dizeres que existia...
Cruzei o meu olhar com o teu,
Fiquei presa a ti...
Agora vejo,
Que era tudo vazio...
O olhar que um dia se cruzou com o meu,
Era sombrio...
Apenas viu em mim um objecto...
Presa fácil me tornei,
Em ilusões passei a viver,
Construí castelos em areias movediças...
Com eles afundaram-se os meus sonhos,
E o amor que um dia senti por ti....
Triste realidade a minha,
Viver de sonhos impossíveis...



domingo, 5 de outubro de 2008

Pensamentos (in)comuns

Faz hoje um ano que lancei o meu livro...
Conclusão: passou um ano e escrevo sempre as mesmas tretas...

E perguntam vocês...E o que mudou mais neste ano?

A resposta é: nadinha...

Tirando a parte que mudei de pais...E que estou quase de volta a terras lusas...

Mas isso ninguém quer saber pois não?

*ci*

Odeio-me...

Odeio-me por acreditar...
Odeio-me por não ser capaz de fingir...
Odeio-me por me sentir só...
Odeio-me por viver de sonhos impossíveis...
Odeio-me por me deixar enganar...
Odeio-me por me odiar...

Mais sombra que luz...

Mais sombra que luz...
Sonho um dia,
Pesadelo em outro...
Sombras cobrem-me os olhos,
O sorriso perde a forma...
A alegria escorre pelas minhas mãos,
E é levada pelas ondas das minhas lágrimas...
Triste melancolia...
Dor sentida...
Olhar perdido...
Escondo-me...
Espero a noite fria,
Para desaparecer em segredo...
Até um dia...

Cada vez mais longe...

Tudo o que eu sempre acreditei,
Me parece cada vez mais distante...
Apercebi-me que tudo não passa de um sonho,
Um sonho que se repete nos meus pensamentos,
E que invade os meus olhos...
Hoje sou novamente sombra,
Da luz que fui ontem....
Desfocada em sonhos...
Desfocada na realidade...
Sem sentido de existência...
Um corpo vazio a quem roubaram,
O pouco de amor que ainda tinha...
Fico a vaguear perdida,
E sem destino...
Vazia...


sábado, 4 de outubro de 2008

Desfocada aos olhos do mundo...

Imagem livre e solta,
Miragem distante...
Desfocada no horizonte do mundo,
Focada apenas nos sonhos....
Desfocada aos olhos do mundo,
Focada apenas no limite do teu olhar...


terça-feira, 30 de setembro de 2008

Ruas...

A caminhar pelas ruas,
Vejo o mundo apenas pelos meus olhos...
Caminho perdida no meio de desconhecidos,
E penso...
Se o meu coração deixasse de bater?
E eu caísse por terra?
Alguém me apanharia?
Alguém se importaria?
Vivo nestas ruas e ruelas...
Nunca me senti no meio de tanta gente,
Tão sozinha...Porquê?
Porque os rostos são vazios,
Desprovidos do calor dos sorrisos...
Aqui não é o meu lugar,
E está na hora de eu voltar...
Simplesmente continuar a minha caminhada,
Junto dos que amo,
E juntar os meus sorrisos aos deles...
Não digo que seja eternamente,
Mas até que o meu amor,
E os meus sorrisos se esgotem...





segunda-feira, 29 de setembro de 2008

sábado, 27 de setembro de 2008

Acreditar...


Quando acreditas...
Podem sempre existir milagres feitos da tua força...
Desde que nunca deixes de acreditar em ti...
Nos teus sonhos, no teu coração...
No mundo que descobres a cada passo e a cada dia...


terça-feira, 23 de setembro de 2008

Sonhos...

Aprendi que não posso viver de sonhos...

mas com paciência posso tornar a minha vida num verdadeiro sonho...

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

domingo, 21 de setembro de 2008

Sufoco...


De mãos atadas pelo destino,
Sufoco...
Porque me tiraram todo o ar que respiro...
Vida feita de escolhas,
Amarguras...
Momentos de descrédito,
Falsos amores...
Vida triste condenada pelo tempo e a distancia,
Sufoco lentamente,
O sofrimento fica cada vez mais apagado...
Porque tudo tem um fim,
Assim é o meu fim....
Afogada nas minhas próprias lágrimas,
Lágrimas de tormento e amargura...
Triste, só e insegura...
Morrem as palavras...
Silêncio em mim...

sábado, 20 de setembro de 2008

Preciso...


Preciso dos teus sonhos perto dos meus...
Das tuas mãos a segurar a minha face,
Do teu terno e eterno beijo...
Ja tive sonhos,
Por momentos confundi-os com a realidade...
Mas desde o momento em que me tocas-te,
Em que o meu coração deixou de se ouvir,
Em que o meu sorriso se fixou no teu...
Vi-te com os olhos do meu amor...
Amor frágil,
A espera de ser alimentado...
O amor vive-se e sente-se....
E senti-te em cada linha do meu corpo...


quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Perdi-me no infinito do teu olhar...


Sinto-me dividida,
Entre a ilusão e a realidade...
A linha do meu horizonte cruzou-se com a do teu olhar,
Pedi para o tempo parar,
Mas ele não me ouviu...
Ter-te junto a mim foi magico...
Lembrar cada olhar, cada toque, cada palavra,
Faz-me querer acreditar que foi real...
Mas a distancia e o silêncio,
Apenas me levam a acreditar que foi um sonho...
Um sonho em que te observei,
Senti o teu aconchego,
O calor do teu beijo...
O teu amor...
E isso apenas me faz,
Querer voltar a perder em ti...
Se és sonho...sonho-te todas as noites...
Porque acredito que caminho até ti lentamente...
Para me refugiar nos teus braços...
E ficar a espera que o tempo passe,
Sem medo de te voltar a perder...

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Porque continuo a acreditar...


Por vezes a tristeza deixa-me libertar pensamentos amargos...
Mas a verdade é que acredito no amor...
E nao sei viver sem ele....
Hoje lembrei-me de ti,
E do que te escrevi num momento perto de ti:

Hoje sentei-me com os pés na areia,
Fechei os olhos...
Ouvi os segredos,
Que o mar tinha para me contar...
Deixei o vento acariciar a minha face,
Deixei as saudades se perderem no infinito das ondas...
Pensei em ti...
Senti-me em paz...

Adorar-te é apenas o principio...

domingo, 14 de setembro de 2008

Amei-te...

Amei-te com o corpo e com as palavras...
O que ficou?
A triste solidão e o vazio do silêncio...
Volta para mim...
Anjo de olhar de sonhos...


sábado, 13 de setembro de 2008

Acreditei...

Como fui capaz de acreditar??
Que serias diferente?
Que talvez fosses tu o meu porto seguro,
Em momentos de tormento...
Como fui capaz de acreditar??
Que aos teus olhos seria diferente...
Se o que eu mais era, era ser vulgar...
Como fui capaz de acreditar??
Que te tinha nos meus sonhos...
Se o que pretendias era...
Nem coragem tenho para o descrever...
Apenas sinto desilusão...

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

O beijo..


Tatuei o teu beijo no meu corpo...
Mas como as ondas do mar...
Veio e foi-se...


*Sweet memories of a sweet dream...*


terça-feira, 9 de setembro de 2008

Tormento...


Gostava de entender o mundo que me rodeia,
Não me sentir lixo deitado na rua...
Viver a sombra das escolhas,
Atormentada por dor sem origem definida...
Apenas acido que queima o meu corpo,
Apenas luzes que se apagam,
Apenas metas que parecem cada vez mais longe...
Todos temos um destino,
O de uns é ter rios de alegrias,
O de outros um mar de lágrimas...
De que serve aproveitar momentos,
Se nao passam apenas disso...
De que serve gravar sorrisos,
Se o que fica na memoria são as lágrimas...
De que serve acreditar que sou diferente,
Se apenas me resumo a uma simples mortal,
Que nem sequer é capaz de controlar o seu próprio destino...

domingo, 7 de setembro de 2008

Lagrimas...

Lágrimas soltas pela minha face...
Sonhos escondidos pelas sombras...
Palavras que não se soltam...
Silêncio em mim...

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Dor sem fim?

Por vezes falham as palavras...
Os sorrisos ficam escondidos,
Pelas lágrimas que não conseguimos conter...
Dizem que toda a dor tem um fim,
E que cada lágrima derramada,
Um dia será uma gargalhada sentida...
Fecho-me como um livro,
Fico a espera que o tempo,
Volte a me dar vontade,
De me abrir para a vida...
Ou que simplesmente me dê,
Alguém que seja capaz de me ler até ao fim...
A vida é tão difícil de ser vivida...
Por isso não me entendo...
E ninguém me entende...

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Em ti...

Nos meus sonhos foste ganhando vida,
Não estavas ao alcance do meu olhar,
Nem tão pouco te sentia,
Mas acreditava em ti...
Hoje sonho-te,
Mesmo acordada...
Fiz do teu olhar,
O sol que me aquece a alma...
Fiz da tua boca,
Fonte de agua que me refresca a cada instante...
Fiz do teu sorriso,
O caminho que percorro cada dia até ti...
Fiz das tuas mãos,
A brisa que me refresca pela manha...
Fiz do teu abraço,
O manto protector,que me envolve nos meus sonhos...
Fiz em ti o meu destino incerto...

sábado, 2 de agosto de 2008

Perdem-se as palavras...


Perdida no tempo e nas emoções,
Sinto-me uma folha que cai de uma árvore,
Em pleno outono...
Ja teve vida,brilho e cor,
Mas agora apenas ficam vestígios de uma existência,
Sem sentido e significado...
Os sonhos foram levados pelo tempo,
Os sorrisos ficam escondidos...
A esperança apaga-se,
Perdem-se as palavras...
Sou peça inacabada,
Manipulada pelo destino...
Sou sombra da luz que ja fui,
Vazio intemporal...
Perco as forças...
Entrego-me a ti melancolia,
Porque afinal és parte de mim,
E nunca me deixas-te...