sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Querer estar contigo...

Querer estar contigo...
é sentir-me cada dia,
Mais próxima do teu olhar,
E em cada momento,
Mais presente nos teus sonhos...

Querer estar contigo...
é deixar-me levar pela onda do teu mar...
Onda de sonhos que desloca o meu barco lentamente...
Até ao porto seguro,
Construído pelos nossos sorrisos...

Querer estar contigo...
é simplesmente querer amar-te...

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Esta noite...

Esta noite,
Uma noite não diferente,
Mas igual a tantas outras...
Fechei os meus olhos,
Deixei o meu coração voar até ao teu...
Os nossos olhares unirem-se,
Numa linha de amor inseparável...
Dei-te a mão...
Deixei o vento levar as minhas palavras,
Até aos teus ouvidos...
Disse-te...
Amo-te...

I believe...

The smile on your face lets me know that you need me ,
There's a truth in your eyes saying you'll never leave me,
The touch of your hand says you'll catch me wherever I fall,
You say it best..when you say nothing at all...





When you believe your dreams come true...

I believe in you & me...

terça-feira, 28 de outubro de 2008

domingo, 26 de outubro de 2008

Mar estrelado...

Esta noite fechei os olhos,
Deixei-me levar até ti...
Encontrei-me no teu mar de estrelas,
Fusão magica de ondas e luz...
Fusão do meu amor com o teu...
O brilho do meu olhar perde-se ai...
Entre a luz das estrelas,
E as ondas do teu mar..
Mar de amor...
Amor por ti...
Amor por mim...
Amor de mim por ti...

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Dificil...

Sou sombra que afasta a luz,
Difícil de definir...
Impossível de entender...
Afasto alegrias,
Vivo lado a lado com os medos e as tristezas...
Não pedi para ser assim...
Mas nasci assim...
Resta-me esperar que as magoas me afoguem,
E me levem,
Para onde eu possa deixar de sentir esta dor...
Dor que me sufoca e tortura,
A cada passo, a cada momento...
Resta-me esperar,
E morrer lentamente,
Com o meu próprio veneno...

Dividida...

Dividida entre um passado sombrio que já foi luz,
E um futuro desconhecido que me assusta...
Cada passo que dou,
Que ontem me parecia mais certo,
Hoje já não o é...
Perdi-me nas linhas da vida,
Perdi-me nas linhas das escolhas...
Não sei viver dividida....
Desfocada aos meus olhos,
Desfocada aos olhos do mundo...

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Entre as linhas...

Sinto-me dividida entre duas linhas,
A de um presente certo,
E de um futuro incerto....
Duas linhas paralelas num horizonte,
Que nunca se vão cruzar...
Mas não é por essas linhas que devo seguir destino,
Apenas devo escolher,
Da qual me devo aproximar mais...

E construir a minha...
Sei que essa linha,
Que se desenha pouco a pouco,
Vai se cruzar com outra...
Se elas seguem caminho juntas?
Nao sei...
Apenas me resta seguir caminho,
Até ao meu destino incerto...
Mas que me parece cada vez mais certo...


sábado, 18 de outubro de 2008

Sinto-me assim...

Sinto-me a caminhar lentamente,
Sei que não é um caminho simples...
Por vezes o meu chão torna-se,
Uma onda de mar,
Uma explosão marítima,
Capaz de me deixar a deriva...
Talvez tudo fosse diferente,
Se eu fosse diferente,
Mas iria fingir ser algo que não sou...
Hoje tento me definir,
Sou mistura de vento em cólera,
Numa pequena onda de mar...
Sou Brilho de poeira de estrela,
Que vive uma vida de mudanças...
Essa é a minha forma de caminhar,
Até ao limite do meu imaginário...
A minha forma de viver...
Apenas mostrando o que sou...
Sem medos...

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Porque sim...

Porque hoje quero acreditar no amor...
Deixo-vos ouvir o que me vai na alma...

Fechada numa caixa de sonhos...

Fechei-me numa caixa de sonhos...
Não posso caminhar até ti,
Porque não sou livre como o vento...
Não posso me aconchegar no teu amor,
Porque sem ser em palavras não existo...
Não esperes por mim...
Fechei-me numa caixa de sonhos,
Fechei-me ao mundo...
Fechei-me a ti...


terça-feira, 14 de outubro de 2008

Da-me força...

Vejo-te ao longe,
Lentamente abro os meus braços,

Ao teu abraço...
Aprendo a te sonhar,
Em cada palavra escrita...
Para ti caminho,
Espera por mim...
Da-me força,
Para seguir caminho até ti...
Da-me força,
Para acreditar em ti..
Em nos...


segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Será...

Será que me dói a alma?
Por medo de substituir sentimentos...
Será que me sinto confusa?
Por não saber gerir o que me despertas...
Será que tenho medo?
Porque posso sonhar demais e voltar a cair...
Será que nao acredito em ti?
E ao mesmo tempo,
Das ja sentido a minha existência...
Será que posso me apaixonar por ti?
Será que te posso amar apenas a ti?
Será o que tiver que ser...


Doi-me...

Dói-me o corpo,
Dói-me a alma...
Sufoco entre quatro paredes...
Queria ter força,
Queria ter coragem,
Para acabar com tudo...
Os medos tiram-me o ar,
Agonio com os pulmões vazios...
Grito sem voz,
Porque a voz também a perdi...
Perdi os sonhos...
Perdi-me a mim...
Desejo desaparecer do mundo...
Morrer de sonhos,
Que nunca fui capaz de viver...


Poeira de sonhos...

Sou poeira de sonhos,
Varrida pelo destino...
Nao sei para onde o vento me leva,
Mas sei que o meu fim é no mar...
Quando for capaz,
De dissolver as minhas magoas...
E todas as ilusões,
Que criei neste meu mundo...
Ilusões de pensamentos,
De ideias,
De momentos...
Momentos até hoje que pareciam verdadeiros,
Mas que se revelam falsos a cada instante...
Sinto-me como se adormecesse com o calor do sol,
E acordasse com o frio da neve...
Mas hoje sei o que sou...
Sou poeira de sonhos...

sábado, 11 de outubro de 2008

Linhas do olhar...

Pedi-me nas linhas do horizonte,
De um olhar desconhecido...
Percorro um caminho sem destino,
Sigo pelas ruas da vida insegura...
Sem certeza de para onde vou,
Mas com a certeza de quem eu sou...
Viver de sonhos não faz mudar o mundo,
Mas permite-me vê-lo com outros olhos...
Os olhos da alma e do coração...
Vou sem destino...
Vou até ti...
Sonho perdido...

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Estupida existencia...

Existi para me dizeres que existia...
Cruzei o meu olhar com o teu,
Fiquei presa a ti...
Agora vejo,
Que era tudo vazio...
O olhar que um dia se cruzou com o meu,
Era sombrio...
Apenas viu em mim um objecto...
Presa fácil me tornei,
Em ilusões passei a viver,
Construí castelos em areias movediças...
Com eles afundaram-se os meus sonhos,
E o amor que um dia senti por ti....
Triste realidade a minha,
Viver de sonhos impossíveis...



domingo, 5 de outubro de 2008

Pensamentos (in)comuns

Faz hoje um ano que lancei o meu livro...
Conclusão: passou um ano e escrevo sempre as mesmas tretas...

E perguntam vocês...E o que mudou mais neste ano?

A resposta é: nadinha...

Tirando a parte que mudei de pais...E que estou quase de volta a terras lusas...

Mas isso ninguém quer saber pois não?

*ci*

Odeio-me...

Odeio-me por acreditar...
Odeio-me por não ser capaz de fingir...
Odeio-me por me sentir só...
Odeio-me por viver de sonhos impossíveis...
Odeio-me por me deixar enganar...
Odeio-me por me odiar...

Mais sombra que luz...

Mais sombra que luz...
Sonho um dia,
Pesadelo em outro...
Sombras cobrem-me os olhos,
O sorriso perde a forma...
A alegria escorre pelas minhas mãos,
E é levada pelas ondas das minhas lágrimas...
Triste melancolia...
Dor sentida...
Olhar perdido...
Escondo-me...
Espero a noite fria,
Para desaparecer em segredo...
Até um dia...

Cada vez mais longe...

Tudo o que eu sempre acreditei,
Me parece cada vez mais distante...
Apercebi-me que tudo não passa de um sonho,
Um sonho que se repete nos meus pensamentos,
E que invade os meus olhos...
Hoje sou novamente sombra,
Da luz que fui ontem....
Desfocada em sonhos...
Desfocada na realidade...
Sem sentido de existência...
Um corpo vazio a quem roubaram,
O pouco de amor que ainda tinha...
Fico a vaguear perdida,
E sem destino...
Vazia...


sábado, 4 de outubro de 2008

Desfocada aos olhos do mundo...

Imagem livre e solta,
Miragem distante...
Desfocada no horizonte do mundo,
Focada apenas nos sonhos....
Desfocada aos olhos do mundo,
Focada apenas no limite do teu olhar...