sábado, 31 de julho de 2010

61 dias

Dias que se confundem com noites
noites amargas
secas
nuas
vive num corpo despido
de amor
num inferno de troca de palavras
cuspidas e sujas

sem rumo

61 dias
sem serem dias
numa bússola encravada nas lágrimas
de uma história queimada
e inacabada


killing me slowly

you are always
in my mind everyday
in every hour,
because I love you
but I now that you hate me
and it's killing me slowly

1 comentário:

Vieira Calado disse...

Vou juntar o seu blog à minha lista de links.

Saudações poéticas