quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Sorriso usado

O vento revolto
gemeu a volta das árvores
destemido
rasgou folhas
arrancou raízes
levou o resto
de uma primavera florida

Correu numa calçada
assombrada pela noite
a chuva afogava a terra
que gritava de sufoco
em mágoa
ali ficou
alheia a tudo
num mundo de tristes
fez o seu esquecimento
no desprezo
de respostas negadas
no deixar de ser
sem sequer ter sido
capaz de amar

Triste ser
coração de pedra
olhar vazio
sorriso usado
e esquecido

2 comentários:

Vieira Calado disse...

Olá, como está?

Há um tempo que aqui não passava.

Continua interessante e valioso,

o seu blog.

Saudações poéticas

ci disse...

Estou num estado de não saber estar, algo de comum na minha vida...

Obrigado pela visita é sempre bem vindo...

Beijo da Ci