sábado, 6 de novembro de 2010

Palavras que tocam

Num tremer de dedos
descontrolado e constante
entre lágrimas e suspiros
escreveu palavra a palavra
o que no coração guardava

Longe estava o tempo
em que sonhava
com o amor
escolheu viver
viver de amor
saboreando cada momento
mesmo que por vezes
o amargo lhe fica-se
travado na boca
no intervalo de um beijo

Um beijo de vida
de suave carinho
num leve tocar
nas ondas de um corpo
tímido, despido
no sentir de silêncios
compassadamente mágicos

Amou
entre cada pausa
de dois olhares
desenhou na pele
símbolos eternos
da entrega
de duas almas
com tempo

Sentiu amor
em cada despertar
em cada adormecer
por simplesmente
amar
num mar de amor
com limite
na linha de uma boca
de sal
o tempero
da vida

3 comentários:

Anónimo disse...

Olá querida
Enfim descobri como comentar a sua
poesia tenho lido sempre mas, não sabia como comentar...
Sua escrita é linda seus poemas encantadores...Parabéns

Beijinhos

ci disse...

Obrigado e volte sempre

Beijo da Ci

Anónimo disse...

simplesmente maravilhoso um abraco e obrigado