domingo, 27 de novembro de 2016

Almas gêmeas


A vida foi acontecendo
Com os porquês de sempre
Que nos fazem soluçar

Ser humano é questionar-se
Ao acordar pela manhã
Da imperfeição do nosso espelho 
Por nos mostrar o que somos
E não o que desejamos ser

Aceitar os nossos defeitos 
É uma longa batalha diária 
Encontrar quem nos aceite
Tal como somos uma sorte

Fiz da minha sorte
A vontade de sonhar
De olhos tão abertos 
Que à noite mal 
Os consigo fechar

A vida acontece lá fora 
A uma velocidade tão furiosa
Que descrever cada sorriso
Cada impulso, me é impossível 

As nossas aventuras 
Estão apenas a começar 
E o amor que um dia
Se confundiu com o fim
É o meu mais belo princípio 

[Para sempre parece pouco
Na descoberta de tal sentir]

Encontrei-te 
Encontras-te-me
Com destino 
Ou sem ele

Cidália Oliveira
(Texto & fotografia)


Sem comentários: