sábado, 8 de março de 2014

Mulher

Mulher

Entre o silêncio
deslizou o corpo esguio
como mulher se ergueu
como mulher se forjou
a ferro e fogo

cultivou desafios
alinhou segredos
secou tristezas
amou sem limites

fez-se mulher
entre linhas
e suspiros


Texto & Fotografia


3 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Gostei do teu poema.
É uma excelente homenagem à mulher.
És uma mulher de tristezas e segredos, mas também de desafios. É assim que te vejo há anos...
Ainda que atrasada, uma flor para ti...
Cidália, tem um bom fim de semana.
Beijo.

Rafeiro Perfumado disse...

A ferro e fogo? Então a mulher não foi forjada a partir de uma costela do Adão?!?

Cidália Oliveira disse...

Lol só tu... acreditas que depois deste tempo todo (que já vão uns aninhos) continuo cada vez mais admirativa do teu bom humor... beijinhos