domingo, 19 de dezembro de 2010

Preso no silêncio


Mistérios seguros
escondidos nas linhas
de uma retina
retida pela luz

Brilho supérfluo
de uma imagem
em espirais iguais
com contorno de pele
pedra preciosa
de um corpo
o centro de tudo

Mensagens gravadas
nos pergaminhos temporais
de uma alma segura
pupila dilatada
num anoitecer fragmentado
pelos cristais da noite

Traços de vida
nos limites segmentados
de um olhar
preso no silêncio

Silêncio da alma
segredo do mundo

4 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Ci, gostei muito do teu poema. Continua...
Querida amiga, desejo-te um Natal muito feliz, na companhia dos que mais amas.
Beijos.

Nilson Barcelli disse...

Querida amiga, desejo-te um Natal muito feliz.
Beijos.

ci disse...

Obrigado amigo...um bom ano para ti

Beijo da Ci

terezinha disse...

Gostei Ci.
Não sei dizer mais nada.
Sou sensível à poesia mas não a sei comentar.
Como sou à amizade...Ou gosto ou não gosto.
Beijinhos