terça-feira, 14 de setembro de 2010

Amor és...

Seguia por caminhos desiguais
no espaço e no tempo
numa busca incansável de sensações
procurava o amor
escondido nos olhares
tímidos do mundo

O amor que acabou por descobrir
guardou-o nunca o partilhou
procura o momento certo
para o soltar
aos quatro ventos

Amor amor
serás sempre a base
para as palavras
os sonhos

O segredo da vida
revela-se no saber amar
com sentidos
sem sentidos
sem tempos
nem contratempos
nem pontos

Nasce na primeira pessoa
murmura-se em vogais desiguais
a igualdade de ser

Ser simplesmente amor


1 comentário:

Vieira Calado disse...

O segredo da vida:

AMAR!

Saudações poéticas.

Bjs